EscuelaQResiste

 

EscuelaQResiste – Resistência transformadora nas escolas: Contra-narrativas na Educação para a Justiça Social

 

 

Financiamento

Proyectos I+D+i. Ministerio de Economía, Industria y Competitividad de España (Convocatoria 2021 - Proyectos de Generación de Conocimiento)

 

Referência

PID2021-122310NB-I00

 

Parceiros

  • Universidade Autónoma de Madrid, Spain (Coord.)
  • CIIE/FPCEUP, Portugal
  • Universidad Torcuato di Tella, Argentina
  • CIEJUS, Secretaria de Educación de Jalisco (SEJ)
  • Universidad Autónoma de Chiapas (UAC), Mexico
  • Universidad Pedagógica Nacional (UPN)

 

Coordenação Geral do Projeto

Javier Murillo, Universidade Autónoma de Madrid, Espanha

 

Equipa CIIE/FPCEUP

 

Duração

48 meses
Data de início: 1 setembro 2022
Data de fim: 31 agosto 2026

 

Descrição

Após 12 anos a desenvolver investigação da Teoria da Crítica, no âmbito da Teoria da Justiça Social de Fraser e da Pedagogia Crítica para a Justiça Social, a Cátedra UNESCO em Educação para a Justiça Social na Universidade Autónoma de Madrid (UAM) centra-se neste projeto na Teoria da Crítica Raça, nas Pedagogias Críticas da América Latina e na Teoria da Resistência para fornecer informações que contribuam para a configuração de sistemas educativos mais justos e inclusivos. 

A proposta é apresentada entre a Cátedra UNESCO e o Instituto Universitário de Direitos Humanos, Democracia e Cultura de Paz e Não-Violência (DEMOSPAZ) da UAM, com a participação de seis equipas de investigação de cinco países da Europa e América Latina. 

Os objetivos gerais do projeto são duplos: 

  • Compreender as percepções e experiências das opressões do sistema educativo dos jovens à margem do sistema educativo, das famílias e das comunidades.
  • Identificar formas de resistência na educação por parte dos jovens à margem do sistema educativo, das famílias e comunidades e das escolas resilientes.  

Para alcançar estes objetivos, são propostos três estudos complementares, cada um com uma metodologia inovadora que seja coerente com os objetivos: 

Estudo 1. Os jovens à margem do sistema educativo. A fim de compreender a percepção da opressão destes jovens e de identificar as suas formas de resistência, será utilizada a metodologia do testemunho crítico. 72 jovens de 6 países que se encontram à margem do sistema educativo participarão: jovens de 16-18 anos que são perturbadores, marginalizados, excluídos ou mesmo expulsos do sistema educativo, numa situação de pobreza e vulnerabilidade, de origem imigrante, pertencentes a grupos indígenas ou ciganos. A fim de reconstruir os testemunhos críticos, serão realizadas 6 entrevistas em profundidade com cada um dos participantes, bem como vários grupos de discussão. 

Estudo 2. Outras narrativas de educação, famílias e comunidades. A fim de identificar e compreender narrativas não hegemónicas de famílias e comunidades sobre a educação e as suas formas de resistência à tradição escolar, será realizado um estudo utilizando a metodologia contra-narrativa. Propõe-se a participação de 72 famílias com filhos adolescentes e/ou filhas a viver em contextos socioeconómicos desafiantes e ativistas de pelo menos 17 coletivos da sociedade civil que colaboram em iniciativas educativas nestes contextos.  

Estudo 3: Resiliência transformadora em escolas resilientes. A fim de conhecer e compreender as formas de resistência transformadora nas escolas resilientes, será realizado um estudo utilizando a abordagem da Etnografia Transformativa Crítica. Propõe-se o desenvolvimento de 16 etnografias transformadoras críticas em tantas escolas de seis países localizados em contextos socioeconómicos desafiantes, com uma elevada percentagem de estudantes de grupos minoritários e que mostraram sinais de resiliência. As técnicas de recolha de dados serão a observação participante, entrevistas em profundidade, análise documental e grupos focais. 

Para o desenvolvimento do projeto, foi realizado um planeamento completo das atividades, com pormenores sobre responsabilidades, tempos e produtos. Foi também concebido um plano para optimizar o impacto científico-técnico e social do projeto.