Polifonia na Educação, Cidadania e Biografia de Mulheres Jovens e Adultas

Investigadora responsável | Main researcher 
Helena C. Araújo

 

Equipa de investigadores | Research team
Ana Maria Braga Cruz
Ana Paula Canotilho
Andrea Peniche
Antónia Vieira
Carminda Morais
Carolina A. Fernandes de Carvalho
Clementina Moura Santos Sousa
Conceição M. Magalhães Coelho
Esmeralda Santos
Eunice Macedo
Fátima M. Cardoso da Silva
Laura Fonseca
Maria de Fátima Gonçalves Pinto Miranda
Maria do Carmo Marques
Maria José Magalhães
Maria Lúcia Gomes
Rosimeire Teixeira dos Santos
Sofia Marques da Silva

 

Resumo
Procura-se, neste Projecto, focar as vidas de mulheres de gerações diferentes, na sua diversidade de percursos de educação formal e não formal, e nas suas experiências no mundo de trabalho assalariado, nos espaços público e doméstico. Assim, refere-se a polifonia das suas vozes, e não uma homogeneidade que, se teve como um dos seus efeitos denunciar as suas situações em relações subordinadas, possivelmente contribuiu para invisibilizar as reconfigurações imprimidas a trajectórias de vida de forma activa. Uma parte bem substancial deste Projecto procura construir as narrativas a partir das suas vozes, o que autoras denominam de 'uma política da voz' (Lister 1977; Yeatman 2000), e articulá-as dentro das configurações de questões da cidadania democrática em que direitos e visões da realidade procuram dialogar. Entrevistas semi-directivas serão também importants na visibilização das subjectividades e dos percursos de mulheres na vida de formação e profissional. Vários serão os contextos de formação em foco: contextos escolares como os vividos e experienciados nos percursos coeducativos na escola básica e secundária, no ensino recorrente, na educação de infância, tanto por mulheres jovens como por mulheres adultas que revisitam esses percursos de forma evocativa e reflexiva. Os contextos profissionais evocados serão também vários, e atravessados por relações especificamente de classe social e étnicas: por um lado, os de engenheiras, de professoras, de enfermeiras, de políticas, e por outro, de percursos e experiências de trabalho de empregadas domésticas, de artesãs, de vendedoras ambulantes e de mulheres domésticas. As políticas educativas e sociais, sobretudo sobre a familia e a sexualidade, serão também analisadas, em particular com recurso a pesquisa e análise documental, incidindo nos últimos dez anos. Um conhecimento estatistico de percursos escolares, em escolas do ensino básico e secundário, concernentes a sucesso e abandono escolares, será básico para que muitas destes desenvolvimentos se possam efectuar, de forma sustentada, constituindo uma referência. Trata-se de um projecto que poderá contribuir, na sua formulação sociológica, histórica e educacional para desvendar a especificidade e diversidade de percursos de mulheres e que uma equipa organizada em termos de projectos de formação avançada de mestrado (como o do mestrado em Educação, Género e Cidadanias, a decorrer na FPCE, no seu 1º ano) e três teses de doutoramento permitem configurar de forma mais sistemática, certamente corporizadas num conjunto de publicações em revistas nacionais e estrangeiras e em livros. Como já se referiu, o método biográfico (inculindo histórias de vida, narrativas biográficas e uma autobiografia), a análise documental, o recurso a entrevistas semi-directivas e a análise de conteúdo e estatística serão prosseguidas, assegurando o desenvolvimento. O projecto será acompanhado por duas consultoras doutoradas, articuladas com a formação avançada de mestrado, e introduzirá um sistema de avaliação interna.

Objectivos do projecto: O projecto tem subjacente uma preocupação com a igualdade de direitos e a cidadania de grupos sociais nos seus percursos escolares, de formação e de trabalho. Certamente preocupadas com a concretização de uma escola democrática, onde estes grupos deverão ser valorizados nas suas culturas e interesses, através do sucesso escolar, mas também da valorização da diversidade de perspectivas culturais. O projecto prentende: 

1. Contribuir para uma afirmação da cidadania de mulheres, em torno da visibilidade da sua participação na pluralidade de percursos de vida; 

2. Ler as experiências das mulheres, à luz de uma articulação de cidadania, género e educação, nos seus percursos de formação e de experiências de trabalho; 

3. Produzir conhecimento a partir das vozes de dentro e de fora da escola, e em espaços de trabalho, não só os tradicionalmente ocupados por mulheres, mas também aqueles em que recentemente têm começado a ocupar; 

4. Construir narrativas biográficas de mulheres jovens e adultas de grupos sociais e étnicos, cruzando exclusão, sucesso e empowerment; 

5. Promover interculturalidades, ligando comunidades.