Da Casa da Juventude aos Confins do Mundo: Etnografia de Fragilidades, Medos e Estratégias Juvenis

 

Sofia Marques da Silva

 

 

Da Casa da Juventude aos Confins do Mundo procura dar conta de desafios e pressões impostas por um tempo de crise e imprevisível junto dos/as jovens, principalmente daqueles/as que vivem situações de desigualdades estruturais. O argumento em torno da questão principal alimenta-se de abordagens teóricas no campo da Sociologia da Educação, da Sociologia da Juventude e da Sociologia da Experiência.

O estudo etnográfico realizado numa Casa da Juventude identifica um conjunto de formas de vida e percursos sócio-educativos contraditórios que resultam de efeitos de contraste e incluem múltiplas, irregulares e até conflituosas que resultam de efeitos de contraste e de experiências juvenis. Revela-se o que resulta, por um lado, de um movimento de confronto dos/as jovens com vulnerabilidades, decorrentes do desinvestimento e da perda de confiança em vários mundos, nomeadamente na família, no trabalho e na escola, e um movimento de afirmação e investimento que passa pela construção da confiança, da pertença e do reconhecimento em lugares, figuras e grupos de conforto.

Os quotidianos desta instituição revelaram-se espaços de conflito, de síntese e de mediação entre tensões que decorrem das diferentes expectativas que recaem sobre este tipo de instituições: expectativas políticas, sociais, locais e individuais.

A Casa da Juventude é, assim, um espaço de copresença de realidades culturais distintas, onde se tornou possível conhecer experiências e subjectividades juvenis, algumas delas reveladoras quer de novas práticas, esquemas de acção e elos sociais, quer de percursos que se fazem em direcção a um mundo ainda mais precário.

 

 

Edição: Edições Afrontamento

Coleção: Biblioteca das Ciências Sociais / Ciências da Educação / nº 28

Apoio: CIIE/FPCEUP

Ano: 2011

ISBN: 978-972-36-1217-2