PT

Programa Doutoral em Ciências da Educação

Estudar no PDCE

O PDCE está organizado numa estrutura curricular de 3 anos (a tempo inteiro; ou 6 anos a tempo parcial), focando-se no desenvolvimento de investigação original em relação com os projetos de investigação desenvolvidos no CIIE. A tabela 1 reporta o plano de estudos deste programa doutoral.

Tabela 1. Estrutura curicular
Semestre Unidades Curriculares ECTS
1o e 2o Seminário de Investigação I 20
Estruturas e Dinâmicas do Trabalho de Investigação 20
Questões e Problemáticas na Educação Contemporânea 20
3o Seminário de Escrita Científica 10
3o e 4o Seminário de Investigação II 35
Seminário Temático 10
Apresentação de Trabalhos de Pesquisa em Congressos 5
5o e 6o Seminário de Investigação III: Elaboração de Tese de Doutoramento 55
Apresentação de Trabalhos em Congressos 5

Durante os dois primeiros semestres, o programa tem uma forte estrutura curricular que promove uma formação sistemática e ampla em Educação, incluindo:

  • i) o desenvolvimento de conhecimentos teóricos, crítica epistemológica e especialização metodológica, em métodos qualitativos e quantitativos;
  • ii) a interação frequente com investigadores nacionais e internacionais, de diversas tradições teóricas, epistemológicas e metodológicas;
  • iii) a integração em grupos e projetos de investigação do CIIE que apoiam o desenvolvimento de investigação original.

Depois do 3º semestre, o PDCE tem um currículo flexível e personalizado de 120 ECTS para favorecer:

  • iv) o desenvolvimento de competências de escrita científica que envolvem a capacidade de expressar-se numa variedade de géneros académicos (comunicações, relatórios, artigos, ...);
  • v) a oportunidade de experimentar períodos de estágio num centro de doutoramento de qualidade superior e estimulante como o PGPE UERJ;
  • vi) a experiência de disseminação do conhecimento, uma vez que os estudantes são incentivados a apresentar posters e comunicações no Simpósio Internacional anual do PDCE e noutras reuniões científicas (exigência mínima de 3 trabalhos apresentados no decurso do doutoramento), bem como a submeter trabalhos a revistas científicas com revisão de pares (o requisito mínimo é 1 artigo numa revista científica indexada);
  • vii) a escrita da dissertação num dos formatos possíveis – tradicional ou “por artigos”. Neste último, a exigência mínima é de 3 trabalhos publicados ou aceites para publicação em revistas indexadas, inseridos numa análise coerente e relevante de toda a investigação produzida no doutoramento. No âmbito da unidade curricular de Seminários Temáticos, os estudantes são incentivados a participar em seminários e workshops, internos ou externos à FPCEUP, relacionados com o seu tema específico de investigação.

Orientação

A definição de um orientador e a inclusão em grupos de investigação do CIIE é um processo que é fortemente apoiado pela Comissão Científica do PDCE, no qual os estudantes são incentivados a explorar diferentes possibilidades, através da participação ativa dos potenciais orientadores, que reconhecem a relevância deste processo. No início de janeiro os estudantes apresentam uma proposta inicial para o tema/orientadores, que a Comissão Científica valida (ou, nalguns casos, elabora uma contraproposta). Há obviamente uma preocupação com o respeito pelas escolhas dos estudantes, mas garantindo também o conhecimento e experiência dos orientadores em causa.

A orientação é uma condição fundamental para a qualidade do doutoramento, tal como a investigação tem claramente demonstrado; mas, e tal como acontece noutros países, a qualidade de um doutoramento tem evidentemente mudado muito nas últimas décadas e a preocupação com a qualidade da orientação tem sido central no nosso programa. Antes de se tornar orientador principal de um estudante de doutoramento, os investigadores devem primeiro completar um ciclo completo de coorientação com o apoio de um colega mais experiente. Portanto, no PDCE, coorientação é a regra, não a exceção. O facto de esta ser uma prática regular, significa que os próprios orientadores estão acostumados a trabalhar em conjunto, e preparados para lidar e gerir as suas diferenças de uma maneira produtiva.

A inclusão e a articulação com grupos de investigação do CIIE são favorecidas: os orientadores são incentivados a incluir estudantes de doutoramento nas atividades dos grupos de investigação, e a promover reuniões envolvendo diferentes coortes de estudantes de doutoramento que trabalham no mesmo grupo de investigação.

Mobilidade

O ethos internacional do PDCE é traduzido em várias oportunidades de mobilidade. Os estudantes de doutoramento com uma bolsa de estudos mista (financiada pelos Programas Doutorais da FCT) devem passar pelo menos 3 meses na UERJ para desenvolver a sua investigação. Noutros casos, esta parceria também cria oportunidades para que os estudantes possam conectar-se à experiência da UERJ no domínio da Educação.

Os estudantes do PDCE podem também candidatar-se ao Doutoramento Europeu (informação jurídica disponível aqui). Neste caso, os alunos devem passar pelo menos 3 meses numa universidade europeia, na sequência de um plano de trabalho de investigação, que é acordado entre as duas universidades de antemão.
Os doutorandos são fortemente incentivados e apoiados pelo PDCE para a divulgação do seu trabalho em conferências internacionais.

Estruturas de apoio ao desenvolvimento de competências de ensino e investigação

No caso de os doutorandos pretenderem desenvolver as suas competências no âmbito da docência eles podem ser, sob a supervisão de seus orientadores, envolvidos na oferta de cursos de educação contínua na FPCEUP ou na assistência de aulas em cursos de licenciatura ou de mestrado.

Foi criado um gabinete de apoio metodológico para estudantes de doutoramento, onde estes podem participar em workshops sobre métodos de análise de dados, tanto qualitativas como quantitativos, e solicitar consultas individuais com um investigador especializado em metodologias de investigação educacional.

Contacto

Serviço de Pós-graduações

spg@fpce.up.pt

(+351) 220 42 89 20